Conceito de Comunidade de Prática: um olhar para as pesquisas na área da Educação e Ensino no Brasil

Márcio Urel Rodrigues, Luciano Duarte Silva, Rosana Giaretta Sguerra Miskulin

Resumo

Este artigo apresenta um excerto relacionado a um aspecto da pesquisa de doutorado que foi desenvolvida na Unesp – Rio Claro. Tal excerto objetiva compreender o desenvolvimento conceitual das Comunidades de Práticas nas três obras de Etienne Wenger e identificar os reflexos desse referencial teórico nas pesquisas na área da Educação e Ensino no Brasil. Para isso, realizamos um mapeamento das pesquisas em Educação e Ensino seguindo os procedimentos das investigações do tipo “estado da arte”. Assim sendo, o corpus foi constituído por 46 pesquisas (20 dissertações e 26 teses) defendidas no período de 2005 a 2016. Esses procedimentos nos conduziram à identificação do desenvolvimento conceitual das Comunidades de Prática nas três obras que Etienne Wenger participa como autor. Notamos que após a publicação da terceira obra - Wenger, Mcdermott e Snyder (2002) -, Wenger apresenta o conceito de Comunidade de Prática próximo da definição enfatizada na referida obra. Apesar disso, constatamos que existe uma predominância da obra Wenger (1998) nas pesquisas que utilizam os pressupostos teóricos das Comunidades de Práticas na área da Educação e Ensino no Brasil; Percebemos a predominância de quatro programas de pós-graduação de quatro IES – Unesp – Rio Claro/SP; Unicamp – Campinas/SP; PUC – São Paulo/SP; e UEL – Londrina/PR - no Brasil que desenvolvem pesquisas na área da Educação e Ensino com os pressupostos das Comunidades de Práticas na perspectiva de Etienne Wenger em suas três obras principais.

Palavras-chave

Comunidade de Prática; Formação de Professores; Estado da Arte; Educação Matemática

Texto completo:

PDF

Referências

BARTON, D.; TUSTING, K. Beyond Communities of Practice: language, power and social context. New York: Cambridge University Press, 2005.

BOGDAN, R., BIKLEN, S., Investigação Qualitativa em Educação – uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora. 1994.

CYRINO, M. C. C. T. Comunidades de Prática de professores como espaço de investigação sobre formação de professores de matemática. In: BATISTA, I. L.; SALVI, R. F. Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática: perfil de pesquisas. Londrina: EDUEL, 2009, p. 95- 110.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, ano XXIII, n. 79, p. 257-272. 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2014.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.

FIORENTINI, Dario. Educação Matemática: Diálogos entre Universidade e Escola (Conferência no X Encontro Gaúcho de Educação Matemática - Unijui). Ijuí/RS, 2009. p. 1-20. Disponível em: . Acesso em: 08 abril. 2017.

IBE/UNESCO, International Bureau of Education/United Nations Educational Scientific and Cultural Organization. Uma Comunidade de Prática como uma rede global dos que desenvolvem currículos. 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2015.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MISKULIN, R. G. S. Comunidades de Prática Virtuais: Possíveis Espaços Formativos de Professores que Ensinam Matemática. In: Encontro Nacional de Educação Matemática, Cultura e Diversidade, 10., Salvador. Anais... Salvador: SBEM, 2010, p. 1-10.

RAMOS, W. R.; MANRIQUE, A. L. Comunidade de Prática de Professores que Ensinam Matemática como Espaço de Negociações de Significados sobre a Resolução de Problemas. Bolema, v. 29, n. 53, p. 979-997, 2015.

RODRIGUES, Márcio Urel. Potencialidades do PIBID como espaço formativo para professores de matemática no Brasil. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas - Rio Claro, 2016 540 f.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, PUC/PR, v. 6, n. 19, p. 37-50, set./dez. 2006.

VIOL, Juliana França; MISKULIN, Rosana Giaretta Sguerra. Formação Continuada de Professores e Educação a Distância: uma análise de pesquisas em Educação Matemática. Acta Scientiae, v. 16, n. 3, 2014. p. 505-520.

WENGER, Etienne. Communities of practice: learning, meaning and identity. Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

______. Comunidades de Prática – Aprendizaje, Significado e Identidad – Cognición e Desarrollo Humano. Paidós: Barcelona, Espanha, 2001.

______. Comunidades de prática. 2004. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2015.

______. Communities of practice: a brief introduction. 2006. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2015.

______. Communities of Practice: a few frequently asked questions. 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2015.

WENGER, Etienne; MCDERMOTT. Richard; SNYDER, William M. Cultivating communities of practice: a guide to managing knowledge. Boston, Mass: Harvard Business School, 2002.

WENGER, E.; WENGER-TRAYNER, B. Communities of practice: A brief introduction. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 abril. 2017.

ZACCARELLI, Laura Menegon. Narrativas de aprendizagem em uma Comunidade de Prática. 147 f. Tese (Doutorado em Administração de Empresas) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.

Visualizações do PDF:

46 views


Visualizações do Resumo:

299 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
-->
Tema: Mpg. Customizado por: Articloud