Trabalho Colaborativo e Escola de Tempo Integral: para onde os estudos nos orientam? (2008-2018)

Palavras-chave: Bibliometria, Escola de Tempo Integral, Grupo Colaborativo, Educação Matemática

Resumo

Toma-se como objeto de análise, neste trabalho, um estudo bibliométrico dos periódicos indicados pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM) na última década (2008-2018). Para este fim, foram catalogados os artigos publicados nas revistas e identificou-se o periódico “Zetetiké” e “Revista Metáfora Educacional” para apresentação dos estudos sobre grupos colaborativos e escola de tempo integral, respectivamente. Além disso, na busca por respostas a questão geradora desta investigação não foi possível localizar a relação entre estas duas temáticas em um estudo específico do assunto, o que sinaliza para a importância de investimentos futuros dos pesquisadores na formação de trabalhos colaborativos que visem discutir a Educação Matemática no contexto do ensino integral. Conclui-se, assim, que para a efetivação dos princípios que regem tanto as diretrizes para a escola que se quer formar o aluno multidimensional quanto a implementação de práticas colaborativas, precisamos encarar estes dois pontos como políticas públicas educacionais emergentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Mendes Muniz, Faculdades Integradas de Três Lagoas - AEMS, Curso de Pedagogia.
Mestre em Ensino e Processos Formativos pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/IBILCE/InterUnidades - na linha de pesquisa "Educação Matemática". Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Câmpus de Naviraí (CPNV). Integrante do Grupo de Pesquisa em Currículo: Estudos, Práticas e Avaliação (GEPAC), coordenado pelo Prof. Dr. Harryson Júnio Lessa Gonçalves; Grupo de Estudos e Pesquisas sobre o Início da Docência e Ensino de Matemática (GEPIDEM/UFMS/CNPq) e do Grupo de Investigação Práticas Colaborativas em Educação Matemática (GIPCEM), ambos coordenados pelo Prof. Dr. Klinger Ciríaco. Atualmente é professora do curso de Pedagogia das Faculdades Integradas de Três Lagoas - AEMS - em disciplinas de Fundamentos e Metodologias para a Educação Infantil e da rede municipal de educação de Três Lagoas na escola Parque São Carlos. Tem experiência na área de Educação Matemática, com ênfase nos seguintes temas: "Formação de Professores que Ensinam Matemática" e "Organização e Desenvolvimento Curricular em Matemática".
Klinger Teodoro Ciríaco, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTPP).
Professor Ajunto do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas - DTPP, da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP; Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Instituto de Matemática (INMA), Campo Grande-MS.
Harryson Júnio Lessa Gonçalves, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Departamento de Biologia e Zootecnia.

Doutor em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Atua como professor na Faculdade de Engenharia da UNESP, campus de Ilha Solteira, credenciado no Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência (Faculdade de Ciências de Bauru - UNESP) e no Programa de Pós-Graduação em Ensino e Processos Formativos (FEIS/UNESP). É líder do Grupo de Pesquisa em Currículo: Estudos, Práticas e Avaliação - GEPAC da UNESP. 

Referências

BOAVIDA, Ana Maria; PONTE, João Pedro. Investigação colaborativa: Potencialidades e problemas. In: GTI (Org). Reflectir e Investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM. 2002, p 43-55.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n° 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf_legislacao/tecnico/legisla_tecnico_lei10172.pdf> Acesso em: 31 jan. 2018.

CAVALIERE, Ana Maria Villela. Educação integral: uma nova identidade para a escola brasileira? Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n.81, p. 247-270, 2002. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/es/v23n81/13940.pdf> Acesso em: 5 de mai. 2017.

COSTA, Edineide Cantuário; FEITOSA, Diane Mendes. A formação continuada do professor da educação integral, integrada: ressignificação de tempos e espaços escolares. Revista Metáfora Educacional. n. 19 (jul. – dez. 2015), 20 dez. 2015, p. 80-97. Disponível em: < http://www.valdeci.bio.br/pdf/n19_2015/n19_2015_costa_feitosa_a_formacao.pdf>, Acesso em: 07 mar 2018.

DAMIANI, Magda Floriana. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios. Educar, Curitiba, n. 31, p. 213-230, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/er/n31/n31a13.pdf>. Acesso em: 07 jun. 2017.

DEWEY, John. Vida e Educação. 5 ed. São Paulo: Nacional, 1959.

DIB, Marlene Aparecida Barchi. O Programa Escola de Tempo Integral na Região de Assis: Implicações para a Qualidade do Ensino. Marília, 2010. 207 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Campus de Marília, Universidade Estadual Paulista.

ÉBOLI, Terezinha. Uma experiência de Educação Integral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1969.

FERRARI, Márcio. Henri Wallon: o educador integral. Revista Nova escola, Edição especial, jul. 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido.48. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FULLAN, Michael; HARGREAVES, Andy. Por que é que vale a pena lutar? O trabalho de equipe na escola. Porto: Porto Editora, 2001.

GADOTTI, Moacir. Educação integral no Brasil: inovações em processo. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2009.

HARGREAVES, Andy. Changing teachers, changing times: teachers’ work and culture in Postmodern Age. New York: Teachers College Press, 1994.

HARGREAVES, Andy. Os professores em tempos de mudança: o trabalho e a cultura dos Professores na Idade Pós-Moderna. Lisboa: Mc Graw-Hill. 1998.

LIMA, Jorge Manuel Ávila de. As culturas colaborativas nas escolas: estruturas, processos e conteúdos. Porto: Porto, 2002.

LITTLE, Judith Warren. “Teachers as Collea gues”. In: LIEBERM AN, A . (Ed.): Schools as collaborative cultures: creating the future now. London. Falmer Press, 1990. pp.165 -193

MOLL, Jaqueline (org.). Caminhos da Educação Integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos. Porto Alegre: Penso, 2012.

MUNIZ, Bruna Mendes. “Pra Não Dizer que Não Falei das Flores”: estudo bibliométrico da escola integral e dos grupos colaborativos em Educação Matemática. 2019. 135 f. Dissertação (Mestrado em Ensino e Processos Formativos), Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira – FEIS – da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP.

NUNES, Clarice. Anísio Teixeira entre nós: a defesa da educação como direito de todos. Campinas: Cortez/ CEDES, v.21, nº 73, 2000.

OLIVEIRA, Ruth Carvalho de; FEITOSA, Diane Mendes. A prática docente na educação integral: desafios para uma aprendizagem significativa. Revista Metáfora Educacional. n. 19 (jul. – dez. 2015), 20 dez. 2015, p. 210-228. Disponível em: < http://www.valdeci.bio.br/pdf/n19_2015/n19_2015_oliveira_feitosa_a_pratica.pdf>, Acesso em: 07 de mar.2018.

OTLET, Paul. O livro e a medida: bibliometria. In: OTLET, Paul. Bibliometria: teoria e prática. São Paulo: Cultrix, 1986. p.19-34.

PARO, Vitor Henrique. Escola de tempo integral: desafio para o ensino público. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1988.

PEREIRA, Eva Waisros. Anísio Teixeira e a experiência de educação integral em Brasília. In: Revista Pedagógica Pátio, Rio de Janeiro, n.51, p.42-45, ago./out. 2009.

PIZZANI, Luciana; Silva, Rosemary Cristina; HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini. Bases de dados e bibliometria: a presença da Educação Especial na base Medline. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 4, p. 68-85, 2008. Disponível em: < https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/58/81>, Acesso em: 20, out. 2018.

REVELES, Audrey Garcia; TAKAHASHI, Regina Toshie. Educação em saúde ao ostomizado: um estudo bibliométrico. Revista Paulista de Enfermagem, 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v41n2/09.pdf>, Acesso em: 12, dez. 2018.

VANDRÉ, Geraldo. Pra não dizer que não falei das Flores. Rio de Janeiro: Festival Internacional da Canção: 1968. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=gi-i2eG31EI>. (5min50seg).

Publicado
2020-01-18
Como Citar
Muniz, B. M., Ciríaco, K. T., & Gonçalves, H. J. L. (2020). Trabalho Colaborativo e Escola de Tempo Integral: para onde os estudos nos orientam? (2008-2018). Revista De Educação Matemática, 17, e020003. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id309
Seção
Artigos Científicos