Perezhivanie nas aulas de matemática: gênero, raça e ciência

Palavras-chave: Perezhivanie, Ensaio narrativo, Método estético-científico, Pesquisa narrativa

Resumo

A presente narrativa pode ser muito mais um ensaio narrativo. Ensaio, porque busca a partir do estilo ensaístico elaborar certas formulações teóricas sobre a produção de narrativas, e narrativo, pois toma como seu meio de transmissão uma “estória”. Narrar é muito mais do que descrever, é posicionar a particularidade na sua relação dialética com a universalidade do cenário (LUKÁCS, 1965) em que os personagens que emergem da história, sejam imaginários ou reais, devem incorporar certas relações e características humanas fundamentais. É nesse sentido que este ensaio narrativo busca constituir seus personagens reais de uma experiência envolvendo raça, gênero e ciência-matemática.  Serão três cenários diacronicamente separados e sincronicamente interligados: o cinema na escola, a investigação e a Feira de Matemática. Como instrumento de análise do narrar está a teoria histórico-cultural de Vygotsky desenvolvida nos seus últimos trabalhos em torno da categoria de Perezhivanie, que pode ser traduzido como vivência. Em suma, defendemos a pesquisa narrativa como uma investigação nas fronteiras entre arte e ciência, portanto, nosso método que buscamos expor deve ser entendido como um método estético-científico de pesquisa narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Wagner, UFSC

Professor da Rede Municipal de Florianópolis

Doutorando em Educação Científica e Tecnológica (UFSC)

Mestre em Educação Científica e Tecnológica (UFSC)

Graduado em Matemática (UFSC)

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Tradução e notas de Anna Maria Valente. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008.

CLANDININ, Jean et al. Engaging in narrative inquiries with children and youth. Routledge, 2016.

JEREBTSOV, Serguei; PRESTES, Zoia. O papel das vivências da personalidade na instrução. Educação em Foco, v. 24, n. 2, mai. / ago. 2019.

LARROSA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista brasileira de educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever. Ensaios sobre literatura, v. 2, p. 43-51, 1965.

LUKÁCS, György. Introdução a uma Estética Marxista: Sôbre a Particularidade como Categoria da Estética. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. 2ª edição, Rio de Janeiro: civilização brasileira, 1970.

VERESOV, Nicolai. Perezhivanie as a phenomenon and a concept: Questions on clarification and methodological meditations. Cultural-Historical Psychology, v. 12, n. 3, p. 129-148, 2016.

VYGOTSKY, Lev. Psicologia da Arte. Martins Fontes: São Paulo, 2001.

VYGOTSKY, Lev. The Problem of the Environment in Pedology in: KELLOGG, David; VERESOV, Nikolai. LS Vygotsky’s Pedological Works. Springer, 2019.

ZUSAK, Markus. A menina que roubava livros. Editora Intrínseca, 2011.

Publicado
2020-07-20
Como Citar
Wagner, G. (2020). Perezhivanie nas aulas de matemática: gênero, raça e ciência. Revista De Educação Matemática, 17, e020037. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id355
Seção
Artigos Científicos