As Tendências em Educação Matemática na percepção de professores de matemática

  • Lucas Rocha Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia https://orcid.org/0000-0002-8114-3868
  • Mariana Lima Matos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB
  • Irani Parolin Sant’Ana Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB
Palavras-chave: Educação Matemática, Tendências, Ensino

Resumo

Ao longo da história do ensino e, especificamente, do ensino de Matemática, ocorreram reformas voltadas para metodologias e procedimentos de ensino. Os movimentos de internacionalização do ensino da matéria geraram várias discussões, e, ao longo do tempo, foram desenvolvidas metodologias, conhecidas como Tendências em Educação Matemática, nos Cursos de Licenciaturas e de Pós-Graduação. Neste estudo, objetivamos conhecer as concepções de professores de Matemática sobre essas tendências, de modo a responder à seguinte questão: Quais as percepções que professores de Matemática têm em relação às Tendências em Educação Matemática? Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujos dados foram coletados por meio de um questionário elaborado no Sistema de Formulários Google (Google Forms), enviado aos endereços eletrônicos dos professores selecionados. Os resultados obtidos possibilitaram-nos ter as seguintes informações: todos os professores eram licenciados; todos tiveram conhecimento das têndencias no período da Graduação, no Mestrado ou quando estudavam para concursos públicos; todos faziam uso das tendências em suas práticas de sala de aula e acreditavam proporcionar um ambiente de aprendizagem benéfico para os estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Rocha Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Licenciando em Matemática pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB.

Mariana Lima Matos , Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB

Licenciando em Matemática pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB.

Irani Parolin Sant’Ana, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB

Doutora em Educação Matemática pela Universidade Anhanguera de São Paulo. Atualmente professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB.

Referências

ALMEIDA, A. P. S. ; SANT’ANA, C. de C. ; SANT’ANA, I. P. . Google Docs como recurso Pedagógico nas Aulas de Estágio Supervisionado no curso de Matemática. Perspectivas da Educação Matemática, v. 6, p. 13-33, 2013.

ALVES, C. A.; SILVEIRA, T. M. Motivação para estudar matemática: o desafio constante em manter o aluno interessado nas aulas. Revista Maiêutica, Indaial, v. 4, n. 1, p. 91-104, 2016. Disponível em: https://publicacao.uniasselvi.com.br/index.php/MAD_EaD/article/view/1570. Acesso em: 7 maio 2020.

ARAÚJO, M. M.S. O desenho didático interativo na educação online e a prática pedagógica no ambiente virtual de aprendizagem: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2007.

BAMPI, L. Efeitos de poder e verdade do discurso da educação matemática. Educação e Realidade, v. 24, n. 1, 1999. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/55810/33906. Acesso em: 1º maio 2020.

BARRETO, A. F.; SANT’ANA, C. D. C.; SANT’ANA, I. P. A gamificação no processo de ensino e aprendizagem da Matemática por meio da Webquest e do Scratch. Revista de Iniciação à Docência, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 44 - 59, 2020. DOI: 10.22481/rid-uesb.v4i1.6144. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/rid/article/view/6144. Acesso em: 2 nov. 2020.

BOVO, A. A.; GASPAROTTO, G. C. F.; ROTONDO, M. S.; SOUZA, A. C. C.Pesquisando práticas e táticas em educação matemática. Bolema – Boletim de Educação Matemática, v. 25, n. 41, p. 1-41, 2011. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/bolema/article/view/5737. Acesso em: 1º maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, 23 dez. 1996.Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 8 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) – Ensino Médio, Brasília-DF: editora, 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular*. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em <http://basenacionalcomum.mec.gov.br>. Acesso em 15 de abr. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRITO, C da S; SANT’ANA, C de C. Formação docente e jogos digitais no ensino de matemática. EDUCA - Revista Multidisciplinar Em Educação, v. 7, p. 415, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.unir.br/index.php/EDUCA/article/view/4100. Acesso em: 1º janeiro 2021.

CARRAHER, T. N. Ensino de ciências e desenvolvimento cognitivo. Coletânea do II encontro “Perspectivas do Ensino de Biologia”. São Paulo: FEUSP, 1986.

DANTE, L. R. Didática da resolução de problemas. São Paulo: Ática, 1996.

D’AMBRÓSIO, B. S. Como ensinar matemática hoje? SBEM, Brasília, ano 2, n. 2, p. 6-19, 1989.

D’AMBRÓSIO, U. Da realidade à ação: reflexos sobre educação e matemática. São Paulo: Summus, 1986.

D’AMBRÓSIO, U. Matemática, ensino e educação: uma proposta global. Temas & Debates, São Paulo, 1991.

D’AMBRÓSIO, U. Educação Matemática: da teoria à prática. Campinas: Papirus, 2002. (Coleção Perspectiva em Educação Matemática)

FAGÁ, M. V. N. C. Tornar-se e manter-se professor: algumas questões subjetivas. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade

Estadual de Londrina, Centro de Ciências Exatas, Programa de Pós-Graduação em Ciências e Educação Matemática, 2008.

FONSECA, V. Introdução às dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

FRISON, L. M. B.; SCHWARTZ, S. Motivação e aprendizagem: avanços na prática pedagógica. Ciênc. Let. Porto Alegre, n. 32, p. 117-131, 2002.

GIARDINETTO, J. R. B. Matemática escolar e matemática da vida cotidiana. Campinas: Autores Associados, 1999.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOLDANI, A. Formação Inicial de Professores de Matemática: necessidades da prática pedagógica na Educação Básica. 2011. 112 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2011.

GODOY, E. V; CARRETA, C. L. A. O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e a Educação Matemática crítica: uma análise dos conceitos de função e funções polinomiais do 1º e 2º graus no livro didático mais adotado no PNLD 2015. Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, v. 15, n. 18, p. 117-135, jan.-abr. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.25090/remat25269062v15n182018p117a135.

KILPATRICK, J. (1996). Fincando Estacas: Uma tentativa de demarcar a Educação Matemática como campo profissional e científico (Tradução de Rosana G. S. Miskulin, Cármen Lúcia B. Passos, Regina C. Grando, & Elisabeth A. Araújo). Zetetiké, 4(5), 99-120, jan./ jun. Campinas

MACCARINI, J. M. Fundamentose metodologias do ensino de Matemática. Curitiba: Fael, 2010.

MAIOR, L.; TROBIA, J. Tendências metodológicas de ensino-aprendizagem em educação matemática: resolução de problemas – um caminho. 2012. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1785-8.pdf. Acesso em: 17 mar. 2020.

MATOS, J. M.; VALENTE, W. R. Estudos comparativos sobre a reforma da Matemática Moderna. In: MATOS, J. M.; VALENTE, W. R. (ed.). A reforma da Matemática Moderna em contextos ibero-americanos. Lisboa: UIED, 2010. p. 1-8.

MATOS, J. M.; SERRAZINA, M. L. Por que Ensinar Matemática. In: Didáctica da Matemática. Lisboa, Universidade Aberta, p. 15-28, 1996.

MENDES, T., CLOCK, L., BACCON, A. L. (2016). Aspectos positivos e negativos da profissão docente: entre a satisfação e o desejo do professor. Com a Palavra, O Professor, 1(1), 74-94. https://doi.org/10.23864/cpp-v1-n1-33. Acesso em: 1º janeiro 2021.

MIGUEL, A.; GARNICA, A. V. M.; IGLIORI, S. B. C.; D'AMBROSIO, U. A educação matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre sua disciplinarização. Rev. Bras. Educ. [online], n. 27, p. 70-93, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782004000300006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 1º maio 2020.

NACARATO, A. M.; MENGALI, B. L. S.; PASSOS, C. L. B. A Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental: tecendo fios do ensinar e do aprender. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

NEHRING, C. M.; SILVA, D. K.; POZZOBON, M. C. C. Formação de Professores de Matemática: articulação entre desenvolvimento profissional e situações didáticas de modelagem. Contexto e Educação, Unijuí, ano 21, n. 76, p. 223-238, jul./dez. 2006.

PIAIA, F.; SILVA, V. S. O Ensino de Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental: sobre o uso da Modelagem Matemática. Revista de Educação Matemática, v. 16, n. 21, p. 88-100, 1º jan. 2019. Disponível em: http://www.revistasbemsp.com.br/index.php/REMat-SP/article/view/doi.org%2F10.25090%2Fremat25269062v16n212019p88a100. Acesso em: 1º maio 2020.

PONTE, J. P. O desenvolvimento profissional do professor de matemática. Educação e Matemática, v. 3, n. 31, jul./set. 1994.

RICHIT, A.; ALBERTI, L. A. Tendências no ensino da matemática nos anos finais do ensino fundamental: abordagens evidenciadas em livros didáticos. Revemat, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 152-172, 2017.

SAMPAIO, H. S.; SANT’ ANA, C.C.; SANT’ ANA. I.P. - Práticas Educacionais em uma Disciplina, Possibilidades No Ensino De Matemática. in: A pesquisa e a formação de professores de ciências e matemática / Daisi Teresinha Chapani, Ana Cristina Santos Duarte, Bruno Ferreira dos Santos (organizadores) – Curitiba: CRV, 2020.

SANT’ANA, I. P. A trajetória e a contribuição dos professores de matemática para a modernização da matemática nas escolas de Vitória da Conquista e Tanquinho (1960-1970). 2011. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) – Universidade Federal da Bahia, Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador, 2011. Disponível em:

https://ppgefhc.ufba.br/sites/ppgefhc.ufba.br/files/irani_parolin_santana_-_dissertacao_-_a_trajetoria_e_a_contribuicao_dos_professores_de.pdf

SANT’ANA, C. de C.; SANT’ANA, I. P. ; EUGENIO, B. G. . O trabalho colaborativo: promovendo ums atitude investigativa no interior da Bahia. In: Claudinei C Sant'Ana; Irani Parolin Santana; Benedito Gonçalves Eugenio.. (Org.). Estágio supervisionado, formaçao e desenvolvimento docente. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012, v. , p.254p.

SANTOS, Z.; SANT’ANA, C. de C. Integração do Google Drive e WhatsApp como ambiente de aprendizagem em uma disciplina no ensino superior. Revista de Ciência da Computação, [S. l.], v. 1, n. 1, p. p. 1-10, 2019. DOI: 10.22481/recic.v1i1.4919. Disponível em: http://periodicos2.uesb.br/index.php/recic/article/view/4919. Acesso em: 2 nov. 2020.

SANTOS, D. V. ; SANT’ANA, I. P. ; SANT’ANA, C. de C. . Análise de relatórios de estágio supervisionado do curso licenciatura em matemática. In: BACCON, Ana Lúcia; GABRIEL, Fabio Antonio; CLOCK, Lizie Mendes; MENDES, Thamiris Christine. (Org.). Educação contemporânea em perspectiva: interlocuções entre psicanálise, saberes docentes e ensino. 1ed.Rio de Janeiro - RJ: EDITORA MULTIFOCO Simmer & Amorim Edição e Comunicação Ltda., 2015, v. 1, p. 221-238.

SANTOS, M. B. Q. C. P. ; DYNNIKOV, C. M. S. S. ; SANT’ANA, C. C ; FERNANDES, E. P. ; SANT’ANA, I. P. . A Resolução de Problemas Matemáticos nas Revistas de Ensino e Legislação : Alagoas, Bahia e Rio Grande do Sul, 1920-1960. In: PINTO, Neuza Bertoni; VALENTE, Wagner Rodrigues. (Org.). Saberes matemáticos em circulação no Brasil: dos documentos oficiais às revistas pedagógicas, 1890-1970. 1ed.São Paulo: Editora Livraria da Física, 2016, v. 1, p. 145-186.

SILVA, J. N. ; PRADO, D. F. ; SANTANA, I. P. ; SANTANA, Claudinei de Camargo . O Estágio Supervisionado: a visão de futuros professores de Matemática. Perspectivas da Educação Matemática, v. 4, p. 41-51, 2011.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

SCHUBRING, G. O primeiro movimento internacional de reforma curricular em matemática e o papel da Alemanha: um estudo de caso na transmissão de conceitos. Zetetiké, Campinas, v. 7, n. 11, p. 29-50, jan.- jun. 1999.

SERRAZINA, M. L. O professor que ensina matemática e a sua formação: uma experiência em Portugal. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, n. 4, p. 1.051-1.069, out.-dez. 2014.

SILVEIRA, D. S. Professores dos anos iniciais: experiências com material concreto para o ensino de Matemática. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Rio Grande, 2012.

SOARES, F. S. Movimento da matemática moderna no Brasil: avanço ou retrocesso? Dissertação (Mestrado em Matemática Aplicada) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (SBEM). Subsídios para a discussão de propostas para os cursos de Licenciatura em Matemática: uma contribuição da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo: SBEM, 2002.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E AS POLÍTICAS EDUCACIONAIS. Bolema, Rio Claro, v. 33, n. 64, p. 7-26, ago. 2019. Disponível em:

http://dx.doi.org/10.1590/1980-4415v33n64e01.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2008.

WICHNOSKI, P.; KLÜBER, T. E. Investigações Matemáticas na Educação Matemática: uma experiência na formação inicial de professores. Revista de Educação Matemática, v. 15, n. 18, p. 69-83, 1º jan. 2018. Disponível em: http://www.revistasbemsp.com.br/index.php/REMat-SP/article/view/doi.org%2F10.25090%2Fremat25269062v15n182018p69a83. Acesso em: 1º maio 2020.

Publicado
2021-01-28
Como Citar
Santos, L. R. ., Matos , M. L., & Sant’Ana, I. P. (2021). As Tendências em Educação Matemática na percepção de professores de matemática. Revista De Educação Matemática, 18, e021005. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id392
Seção
Ensino de Matemática, diversas possibilidades