O Labor Comum em uma situação proposta pela Early Álgebra: mobilização de meios semióticos e colaboração humana

Palavras-chave: Early Álgebra, Labor Comum, Meios Semióticos

Resumo

O presente artigo apresenta o recorte de uma investigação a respeito do Labor Comum a partir de uma situação proposta no contexto da Early Álgebra denominada “Quantos telefonemas?”. A pesquisa está fundamentada nos pressupostos teóricos e metodológicos da Teoria da Objetivação (TO), proposta por Luis Radford. A TO se insere enquanto teoria de ensino e aprendizagem de matemática como uma abordagem semiótica com enfoque sociocultural. Os objetivos da pesquisa são os meios semióticos mobilizados na situação e indícios de características do Pensamento Algébrico. A busca por evidências relacionadas ao Labor Comum é analisada com base nas relações dialéticas entre estudantes e pesquisadora e dos diferentes meios semióticos (gestos, artefatos, representações) produzidos por estudantes de 6º ano de uma escola da Rede Pública, situada no Norte do estado do Paraná. Considerando os movimentos dialéticos e a mobilização e produção dos meios semióticos, inferimos que existem indicativos dos processos de objetivação e subjetivação de maneira simultânea enquanto constituintes do Labor Comum, além de uma característica do Pensamento Algébrico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Aparecida de Faria, seed

Doutoranda em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Educação Básica. Brasília: MEC, 2018.

CAMILOTTI, Dirce, GOBARA, Shirley. Formação Continuada de professores de Ciências : Indícios do processo de subjetivação. In: Shirley, GOBARA; Luis, RADFORD. Teoria da Objetivação: Fundamentos e Aplicações para o Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2020, p.225-246.

CANAVARRO, Ana Paula. O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática nos primeiros anos. Quadrante, v. 16, n. 2, p. 81-118.2007.

CASTILHO, Raquel. O “ encontro” com o mapa : aprendendo a pensar sobre o espaço por meio do sistema semiótico cartográfico. In: Shirley, GOBARA; Luis, RADFORD. Teoria da Objetivação: Fundamentos e Aplicações para o Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2020,p. 175-197.

D’AMORE, Bruno. Primeiros Elementos de Semiótica sua presença e importância no processo de ensino -aprendizagem da matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2015.

GOLDIN, Gerald. Representation in mathematical learning and problem solving. Handbook of International Research in Mathematics Education. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates.2002.

KAPUT, James; CARRAHER, David; BLANTON, Maria. Algebrain the Early Grades. New York: Lawrence E. A., 2008.

KIERAN, Carolyn. The Learning and Teaching of School Algebra. Handbook of Research on Mathematics Teaching and learning. New York: Macmillan.1992.

LINS, Rômulo Campos; GIMENEZ, Joaquim. Perspectivas em Aritmética e Álgebra para o século XXI. Campinas: Papirus,1997.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E.D.A. Pesquisa em Educação: Abordagem qualitativas. São Paulo: Editora E.P.U, 2013

MESTRE, Célia. O desenvolvimento do pensamento algébrico de estudantes do 4.º ano de escolaridade: Uma experiência de ensino. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2014.p.357.

NCTM. Principles and standards for school mathematics,2008. http://www.nctm.org/standards/

NOGUEIRA, Mayara. Diálogos entre ciências e ficção científica: uma estratégia para discutir ética científica baseada na teoria da objetivação. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2019, 210 f. (Tese doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática).

NOROÑO, Irene et al. Sobre os processos de objetivação de saberes geométricos. Análise de uma experiência de elaboração de simuladores com o GeoGebra. Educación Matemática, v. 32, n. 1, p.99-131, 2020.

RADFORD, Luis. Gestures, speech, and sprouting of signs. Mathematical Thinking and Learning. v. 5, n.3. p. 37-70, 2003.

__________Elementos de una teoría cultural de la objetivación. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, v. 9, n. 1, pp. 103-129, 2006.

RADFORD, Luis, SCHUBRING, Gert, SEEGER, Falk. Semiotics in Mathematics Education: Epistemology, History, Classroom, and Culture, Boston: Sense Publishers, 2008.

_________. Introduction: The phenomenological, epistemological, and semiotic components of generalization. PNA, v. 9, n. 3, pp. 129-141, 2015.

_________. A Teoria da Objetivação e seu lugar na pesquisa sociocultural em Educação Matemática. In: Vanessa, MORETTI; Wellington, CEDRO. Educação Matemática e a Teoria Histórico-Cultural: Um olhar sobre as pesquisas. Campinas: Mercado de Letras, 2018. p. 229-261

_________. Aprendizaje desde la perspectiva de la teoría de la objetivación. In: D’AMORE, Bruno; RADFORD, Luis (Orgs.). Enseñanza y aprendizaje de las matemáticas: problemas semióticos, epistemológicos y culturales. Bogotá: Universidad Distrital Francisco José de Caldas, 2017. p. 115-136

_________. Algunos desafíos encontrados en la elaboración de la teoría de la objetivación. PNA, v. 12, n. 2, pp. 61-80, 2018.

_________. Un recorrido a traves de la Teoria de la Objetivación. In: Shirley, GOBARA; Luis, RADFORD. Teoria da Objetivação: Fundamentos e Aplicações para o Ensino de Ciências e Matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2020. p.15-42

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da linguagem e pensamento: sonora, visual, verbal: aplicações na hipermídia. São Paulo: Iluminuras-FAPESP, 2005.

VERGEL, Rodolfo. El signo en Vygotsky y su vínculo con el desarrollo de los processos psicológicos superiores. Folios, n. 39, pp. 65-76, 2014.

VERGEL, Rodolfo; GÁRZON, Pedro J. R. Álgebra escolar y pensamiento algebraico: aportes para el trabajo en el aula. Bogotá: Editorial Universidad Distrital Francisco José de Caldas, 2018.

VYGOTSKY, Lev S. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1984.

Publicado
2021-02-04
Como Citar
Faria, R. A. de. (2021). O Labor Comum em uma situação proposta pela Early Álgebra: mobilização de meios semióticos e colaboração humana . Revista De Educação Matemática, 18, e021007. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id461
Seção
Artigos Científicos